15 Startups israelenses para observar em 2017

Negócios 05 Jan 2017
15 Startups israelenses para observar em 2017

Israel é uma pequena nação de cerca de oito milhões de pessoas apaixonadas por startups de alta tecnologia. No ano passado,  eu procurei e encontrei algumas das startups israelenses mais interessantes. Este ano,  eu tive novamente a oportunidade de visitar este país incrível e descobrir várias startups que vale a pena acompanhar. Continuando com uma pequena lista de final de ano,  eu estou apresentando quinze startups para observar em 2017 – as que mais me impressionaram em Israel.

Este ano,  eu queria focar em empresas,  grandes e pequenas,  que estão no limiar de alcançar grandes avanços. Eu acredito que muitas,  se não todas,  estas empresas estão a caminho de se tornar disruptoras e influenciadoras globais.

  1. Windward

O transporte marítimo de cargas é o sangue da economia global (mais de noventa por cento do comércio mundial viaja pelos oceanos) e uma indústria de um trilhão de dólares por ano. O gerenciamento das linhas de fornecimento do planeta é uma das tarefas mais complexas que existem e,  no entanto,  essa é também uma das indústrias menos conectadas.

Windward é uma startup sediada em Tel Aviv fundada por dois oficiais navais aposentados. Como uma solução de análise marítima,  a Windward processa mais de cem milhões de pontos de dados todos os dias para entregar um compreensão sem precedentes da indústria vital de transporte de cargas. A plataforma faz isso através da combinação de dados de localização dos navios com informações sobre os navios para mapear rotas de transporte e comportamentos otimizados no mar. Esta startup inovadora arrecadou 10, 8 milhões no ano passado.

  1. Yotpo

Uma verdade fundamental da economia social é que compramos de pessoas em quem confiamos. A Yotpo permite que os lojistas de comércio eletrônico potencializem o uso deste site de avaliação de decisões de compra por consumidores. A plataforma de marketing de conteúdo gerado pelo usuário oferece a marcas de comércio eletrônico uma plataforma de classificação social e avaliação que se integra aos seus sites e a esforços de marketing mais amplos. A plataforma Yotpo oferece a consumidores verificáveis uma maneira amigável de criar avaliações verossímeis de produtos e compartilhá-las com seus amigos em seus perfis nas redes sociais. Esta startup israelense recentemente levantou 22 milhões em financiamento Série C.

  1. Riskified

As fraudes estão crescendo no comércio eletrônico. De acordo com o estudo LexisNexis 2016 “O verdadeiro custo da fraude”,  cada dólar perdido custa aos comerciantes cerca de US$ 2, 40 em estorno de cobranças,  taxas e substituição de mercadorias. Este número teve um aumento acima dos US$ 2, 32 em 2015. Administrar fraudes pode ser uma tarefa complexa,  pois aos provedores de comércio eletrônico são oferecidas diversas soluções de detecção de fraude. A Riskified pretende mudar isso através da oferta de soluções de prevenção de fraude de ponta a ponta,  que utilizam técnicas de aprendizado de máquina e análise de dados para detectar e minimizar a fraude. Os usuários podem criar integrações personalizadas através de sua API. Os varejistas podem determinar quantas capacidades utilizar,  e podem ter certeza de que o processo é invisível para os seus clientes. Com sede em Tel Aviv,  a Riskified levantou 25 milhões em financiamento Série B.

  1. Payoneer

Frequentemente coisas aparentemente pequenas acabam sendo as maiores dores de cabeça para empresários,  profissionais e freelancers. Um dos maiores desafios pode ser receber. Isto é particularmente complicado quando se está lidando com clientes em vários países. A proposta de valor da Payoneer é bastante simples: uma gama de soluções de pagamento para mercados diversos. Ao facilitar o modo de pagamento a Payoneer possibilita a seus três milhões de clientes,  baseados em mais de duzentos países,  expandir e crescer em um mercado global. Com operações em Petah Tikva,  esta empresa de tecnologia financeira recentemente levantou impressionantesUS$180.000.000. Ela também entrou recentemente na minha lista das principais empresas de pagamento eletrônico do mundo.

  1. Minerva Labs

Segundo a Kaspersky Lab,  “um único ataque de criptomalware pode custar até US$99.000 para pequenas e médias empresas.” Malwares são uma ameaça crescente em um mundo cada vez mais conectado,  e uma resposta típica tem sido a de desenvolver contramedidas como parte de uma corrida armamentista digital contra fornecedores de malware. A Minerva usa a funcionalidade dos malwares para subjugá-los antes que eles possam emergir e ameaçar um sistema infectado. A Tecnologia de Simulação de Ambientes da Minerva engana os malwares fazendo-os pensar que é inseguro para o código malicioso emergir e ser ativado. Em vez disso,  o malware permanece dormente e pode ser removido com segurança de acordo com a vontade do usuário. A Minerva ganhou o prêmio de startup cibernética mais inovadora no ano passado na Tel Aviv Cybertech.

  1. Argus Cyber Security

Argus oferece uma gama de serviços automotivos de segurança cibernética que possibilitam a seus clientes medir e entender as ameaças que eles enfrentam de forma mais proativa. À medida que os ataques cibernéticos se tornam mais prevalentes e complexos,  subestimar as ameaças que enfrentamos está se tornando nossa maior vulnerabilidade. Isto é especialmente verdade para os nossos carros,  que estão se tornando mais inteligentes e automatizados. A Argus oferece aos seus clientes,  agrupados na indústria automobilística,  uma variedade de serviços abrangendo a avaliação de riscos,  análise de vulnerabilidade,  revisão de código,  testes de penetração,  e resposta a incidentes. Com sede em Tel Aviv,  esta startup levantou US$ 26 milhões em financiamento Série B no final de 2015.

  1. Lightricks

Baseada em Jerusalém,  a Lightricks foi criada por um grupo de autodenominados “desistentes do doutorado que perceberam que era muito melhor gastar tempo desenvolvendo produtos de ponta para pessoas reais do que publicar trabalhos acadêmicos.” Esta equipe concebeu ferramentas de criação de conteúdo. As duas primeiras são a Facetune e a Enlight,  ambas se tornaram entraram para a lista dos principais aplicativos pagos para Android e iOS. Com sede em Jerusalém,  a Lightricks levantouUS$10 milhões em uma rodada de financiamento de risco em meados de 2015.

  1. Plarium

Plarium está na vanguarda do desenvolvimento de jogos para celular e navegador. Com sede em Herzliya – e com estúdios nos EUA,  Reino Unido,  e Ucrânia – a Plarium desenvolveu sucessos populares como o PokerShark e a Farmandia. Mais recentemente,  a Plarium desenvolveu o Stormfall: Rise of Balur,  que contou com talentos como Megan Fox. A Newzoo prevê que a indústria global de jogos vai valer mais deUS$100 bilhões em 2017,  e que os celulares serão responsáveis por cerca de quarenta por cento disso. Os jogos da Plarium são jogados por mais de 250 milhões de usuários em 150 países,  tornando a empresa merecedora da atenção que tem recebido.

  1. AppsFlyer

É importante saber se nossas campanhas alcançaram o público pretendido e qual a melhor maneira de gastar nossos dólares em publicidade. A AppsFlyer possui uma gama de soluções para enfrentar esses desafios. A empresa oferece uma variedade de dados de marketing e soluções de análise,  incluindo retenção e relatórios de coorte,  a atribuição de redirecionamento,  atribuição em tempo real e detecção de fraude em dispositivos móveis.

  1. SimilarWeb

As empresas orientadas a dados deveriam estar atentas à SimilarWeb. Esta startup de Tel Aviv analisa mais de três milhões de aplicativos móveis e 80 milhões de sites em 60 países por mês. Com o seu aplicativo Web e a API,  a empresa oferece percepções segmentadas de dados sobre o tráfego do site e uso de aplicativos,  mantendo um serviço essencial para pesquisa online. A SimilarWeb levantou mais deUS$60 milhões em sete rodadas de financiamento. As suas soluções incluem análise de conversão e análise de funil,  análise competitiva de marca,  percepções do público e uma grande variedade de métricas de desempenho do site.

  1. Start a Fire

Start a Fire turbina as URLs,  transformando os links compartilhados em ferramentas de recomendação de conteúdo. É uma solução que permite às marcas compartilhar links para conteúdos interessantes de terceiros,  e incluir um emblema de recomendação de conteúdo da marca com sugestões adicionais de conteúdo. As marcas podem selecionar o conteúdo que elas querem promover em seus emblemas e acompanhar o engajamento. Start a Fire é uma plataforma de distribuição de conteúdo e gerenciamento de mídias sociais totalmente integrada. É sediada em Tel Aviv,  tendo levantadoUS$2, 5 milhões em financiamento Série A no início deste ano.

  1. Imonomy

Os anunciantes e editores enfrentam um conjunto cada vez maior de desafios à medida que os consumidores exigem ofertas e experiências de usuário mais relevantes online. Outra startup sediada em Tel Aviv,  a Imonomy potencializa a aprendizagem de máquina,  análise semântica de conteúdo e grandes conjuntos de dados para entregar ofertas relevantes para os consumidores quando necessário. A plataforma in-image da Imonomy fornece anúncios nas imagens editoriais dos sites dos editores e otimiza sua colocação através de uma análise de visibilidade de cada página. À medida que a Web se torna cada vez mais um meio de comunicação visual,  a Imonomy está posicionada para atender diversas demandas dos anunciantes,  editores e consumidores.

  1. BrightInfo

Sediada em Tel Aviv,  a BrightInfo está na vanguarda da automação do marketing personalizado. De acordo com Marketo,  98 por cento dos visitantes de um site,  em média,  são anônimos. Isso significa que os editores,  em sua maioria,  desconhecem quem visita os seus sites. O algoritmo de autoaprendizagem da BrightInfo executa uma análise semântica do conteúdo de um site e recomenda um conteúdo mais relevante para os visitantes com base no seu comportamento. Tudo isto é executado em tempo real e é totalmente automatizado. A solução da BrightInfo destaca os visitantes anônimos – tornando claro o ROI dos anunciantes do site,  graças a um novo mecanismo de análise.

  1. Colu

Colu utiliza a tecnologia de blockchain para construir economias locais. Sua solução ambiciosa é denominada Economia em uma Caixa (Economy in a Box),  e abrange um kit de ferramentas digitais que os comerciantes podem usar para distribuir moedas locais através da tecnologia blockchain. Moedas baseadas em blockchain são aproximações do dinheiro físico sem as inseguranças inerentes do dinheiro. As transações são rápidas,  seguras e verificáveis,  e as economias com base nesta tecnologia são peer-to-peer. As empresas de serviços financeiros estão mostrando um interesse maior em transações baseadas em blockchain,  e a Colu está reduzindo as barreiras de entrada para ambas as comunidades locais e os serviços que eles suportam.

  1. Zebra Medical Vision

A empresa de diagnóstico baseado em aprendizado de máquina,  com sede em Shefayim,  Zebra Medical Vision,  vem acrescentar ao ambiente de tecnologia médica. O fundador e presidente,  Eyal Gura,  fundou a Zebra após um acidente de mergulho que levou a muitos procedimentos desnecessários por causa da incapacidade do técnico em analisar corretamente a imagem médica. A Zebra anunciou um novo algoritmo que detecta o câncer de mama em estágio inicial. Durante o ano de 2016,  a Zebra anunciou dois algoritmos com foco na detecção da doença de fígado e artérias,  e está planejando lançar diversos novos algoritmos ao longo de 2017. A Zebra Medical Vision já levantouUS$20 milhões em dois anos,  incluindo a sua última rodada ($12 milhões) em maio.

Estas empresas estão liderando a inovação e a criatividade em Israel. Com sorte,  vamos encontrar diversas outras histórias de sucesso no futuro.

Fonte: Inc. e Israel Trade

← Datora vai instalar no país rede dedicada à internet das coisas Cinco finalistas na competição de startups de mobilidade da Shell →

Leave A Reply

Comments are closed