18 coisas legais para fazer em Tel Aviv de graça

Turismo 28 Jun 2013
18 coisas legais para fazer em Tel Aviv de graça

Não é preciso tirar sua carteira do bolso para desfrutar destas 18 sugestões de passeio, caminhada e banho de sol na cidade de Israel à beira-mar.

Tel Aviv é um dos principais destinos do mundo. Esta cidade à beira-mar é constantemente incluída por revistas de viagens entre suas melhores escolhas.

O guia de viagens Lonely Planet a classificou entre as 10 cidades mais cheias de ação e entre as Três Principais Cidades do mundo.

A revista National Geographic se apaixonou pelo litoral de Tel Aviv.

A revista Conde Nast Traveler destacou a arquitetura Bauhaus incomparável da cidade e elogiou muito os seus bares e sorveterias.

Tel Aviv possui o título de A Melhor Cidade Gay do Mundo. E a revista Travelers Digest a elegeu como uma cidade cheia de gente bonita.

De calçadões na praia a parques verdes, de lojas modernas a boates impressionantes, de museus e mercados ao ar livre, há muita coisa para fazer em Tel Aviv.

Melhor ainda: existem infinitas opções gratuitas na cidade. A revista ISRAEL21c escolheu 18 das melhores coisas para fazer em Tel Aviv sem gastar um shekel.

1. Praias

O lado oeste de Tel Aviv é um trecho de 13 quilômetros de praias de areia, o que levou a revista National Geographic a chamar Tel Aviv de “Miami no Mediterrâneo.

Não importa onde você decida estender a sua toalha, a escolha sempre será certa.

praia tel aviv

A Praia Gordon é uma das mais famosas, atraindo turistas, moradores locais, corredores e pessoas que gostam de sol durante todo o ano. Passe lá nas manhãs de sábado no inverno (11h – 14h) ou à noite no verão (20h – 22h) e experimente as danças folclóricas israelenses em lugar público.

A Praia da Banana, localizada no extremo sul perto de Jaffa, atrai as multidões boêmias nas noites de sexta-feira para rodas de instrumentos de percussão, canto e dança.

A Praia Metzizim atrai todo tipo de gente para o seu litoral arenoso. Jogue frescobol ou leve seus filhos ao parque infantil.

A Praia Hilton (próxima ao hotel) é a praia do público gay e a Praia Jerusalém também acolhe muito bem o público LGBT.

Então coloque na mala seu protetor solar, toalha e um bom livro para ler – a arenosa Tel Aviv na costa do Mar Mediterrâneo espera por você.

2. O Calçadão Tel Aviv-Jaffa

O Calçadão Tel Aviv-Jaffa é uma passarela movimentada que liga a Antiga Jaffa no sul aos bairros do norte da cidade. Venha aqui para desfrutar de um lindo pôr do sol, para ver pessoas bonitas, provar comidas deliciosas em um dos cafés ou restaurantes ao longo do calçadão ou para ouvir alguns dos melhores artistas de música clássica de rua que você já viu.

calçadão Tel Aviv

3. Parque Hayarkon

Conhecido como o pulmão verde da cidade, este “Central Park de Tel Aviv” atrai cerca de 16 milhões de visitantes a cada ano.

Os 3,8 quilômetros quadrados do parque urbano contam com trilhas para caminhadas, ciclovias, dezenas de áreas de lazer para crianças, jardins botânicos, gramados amplos, instalações esportivas, dois minijardins zoológicos e lagos artificiais.

O parque também oferece opções de entretenimento pago, incluindo um aviário, um parque aquático, uma parede de escalada e aluguel de trem e pedalinho para crianças.

Você pode seguir o Rio Yarkon desde o Norte de Tel Aviv até o Mar Mediterrâneo.

4. Antiga Jaffa

Nenhuma visita a Tel Aviv é completa sem uma passadinha pela Antiga Jaffa. É uma das cidades mais antigas do mundo e abriga o mais antigo porto marítimo do mundo.

Na última década, a Antiga Jaffa se tornou um dos lugares mais interessantes para se frequentar, visto que designers, artistas e amantes da boa mesa estão se mudando para lá. Venha com fome porque a comida de rua é abundante e deliciosa.

Não perca a famosa Torre do Relógio, a feira de antiguidades, os restaurantes, as lojas de grife, galerias e museus, o Porto Velho e o complexo artístico NaLaga’at Center operado pela comunidade muçulmana, cristã e judaica surda e cega.

5. Porto de Tel Aviv

O porto de Tel Aviv é um dos principais centros de entretenimento da cidade com modernas lojas, bares, boates, cafés e uma movimentada feira de hortifrutigranjeiros. Milhares de moradores e turistas caminham ao longo do calçadão de madeira projetado exclusivamente para absorver a brisa salgada do mar, o lindo pôr do sol e para sentir a vibração de Tel Aviv.

Há uma enorme caixa de areia para as crianças brincarem. Os fins de semana são muito movimentados, com músicos de rua e artistas de balão que divertem a multidão. O porto também recebe inúmeros festivais ao ar livre durante todo o ano.

6. Mercado Carmel

Este não é apenas mais um mercado de roupas e de frutas e verduras. O Mercado Carmel é o coração de Tel Aviv. Você não precisa vir para fazer compras. Em vez disso, passe pelas barracas coloridas, sinta os cheiros e aprecie a paisagem.

Alguns vendedores são conhecidos por cantar os preços das suas mercadorias – que vão desde especiarias até frutas secas, verduras frescas, peixes e lembrancinhas. Cafés e estabelecimentos de alta gastronomia cheios de estilo também fazem parte do cenário.

O mercado fica entre a esquina das ruas King George e Allenby e a Estação Rodoviária Carmelit. Está aberto todos os dias das 7h até o anoitecer, exceto às sextas-feiras, quando fecha uma hora antes do Shabat.

mercado carmel

7. Mercado Levinsky

O Mercado Levinsky é o lugar das especiarias. E também das frutas secas, nozes, doces tradicionais, queijos finos, produtos em conserva, frios exóticos e peixe salgado.

O ponto alto da atividade é nas manhãs de sexta-feira quando os moradores lotam a estreita Rua Levinsky para visitar suas favoritas lojas de iguarias finas, padarias, bancas de noz torrada e lojas de especiarias.

Se você realmente visitar este mercado, comece ou termine seu passeio no bairro Florentin – o SoHo de Tel Aviv da classe muito estilosa e operária.

Atenção, amantes da fotografia: o Mercado Levinsky é um dos melhores lugares para tirar fotos em Tel Aviv.

8. Nahalat Binyamin

A feira de artesanato Nahalat Binyamin Arts & Crafts Fair acontece todas as terças e sextas-feiras na área pública para pedestres. Mais de 200 artesãos e artistas israelenses montam estandes para expor e vender suas criações exclusivas e muitas vezes cômicas.

É uma feira ao ar livre com artistas de rua, palhaços e músicos que proporcionam entretenimento gratuito para os visitantes. O mercado está aberto nesses dois dias a partir das 10h até o anoitecer.

9. Bairro Neve Tzedek e estação de trem histórica (Tachana)

Neve Tzedek é um dos mais belos bairros de Tel Aviv – e historicamente foi o primeiro bairro construído fora de Jaffa. É perfeito para um passeio romântico ao longo das pequenas ruas e ruelas e passando pelos edifícios restaurados com primor.

O complexo de dança e teatro Suzanne Dellal Center fica no coração deste bairro e uma visita ao seu pátio é obrigatória.

O bairro conta com elegantes cafés e restaurantes de alta gastronomia, bem como com lojas de grife, hotéis caros e lojas encantadoras.

No extremo sul do bairro fica a histórica estação de trem conhecida como Tachana. Este complexo recém-restaurado agora serve como um centro cultural e comercial.

Tachana

10. Arquitetura Bauhaus

Tel Aviv possui uma rica fonte de arquitetura exemplar.

Um dos apelidos de Tel Aviv é a Cidade Branca, graças ao seu grande número de edifícios brancos Bauhaus (em estilo internacional). Em 2003, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) declarou a Cidade Branca de Tel Aviv como Patrimônio Cultural Mundial.

Faça um passeio autoguiado pelo Bulevar Rothschild, pela Rua Dizengoff, pela Rua Bialik ou pelo bairro Neve Tzedek para ver os melhores prédios que a Cidade Branca tem para oferecer.

Ou participe de um passeio gratuito a pé por Tel Aviv patrocinado pela cidade que põe em foco os estilos arquitetônicos da década de 1930.

11. Passeios gratuitos a pé

A melhor maneira de ver a cidade é a pé e o município criou visitas guiadas gratuitas em língua inglesa às principais atrações turísticas de Tel Aviv, assim como uma série de passeios que você pode fazer sozinho. Para as visitas guiadas, não há necessidade de reserva antecipada; basta ir até o ponto de encontro.

O passeio pela Cidade Branca, todos os sábados às 11h (exceto no dia do Yom Kippur), põe em foco a arquitetura Bauhaus ao longo do Bulevar Rothschild e conta a história de Tel Aviv. Ponto de encontro: Rua Rothschild 46 (esquina da Rua Shadal).

O passeio pela Antiga Jaffa, toda quarta-feira às 9h30, serpenteia pela feira de antiguidades, pela área da Cidade Velha, passando por alguns dos sítios arqueológicos da cidade e até o Jardim Hapisga. Ponto de encontro: Torre do Relógio.

O passeio pela Universidade de Tel Aviv, toda segunda-feira às 11h (exceto nos feriados judaicos, na semana do Sukkot, na semana da Páscoa dos judeus e durante a última semana de agosto), faz uma introdução à arquitetura israelense no campus, aos estilos, às influências internacionais, às histórias dos prédios e aos arquitetos, à escultura ambiental e ao design paisagístico. O passeio é oferecido em cooperação com os Amigos da Universidade de Tel Aviv. Ponto de encontro: Livraria Dyonon, entrada do campus (interseção das ruas Haim Levanon e Einstein).

Os mapas para os passeios autoguiados podem ser obtidos no Centro de Visitantes do município.

12. Os Acolhedores de Tel Aviv

Os Acolhedores de Tel Aviv oferecem passeios gratuitos pela cidade com os moradores locais. É um programa de voluntariado que une visitantes e moradores que só querem compartilhar seu amor pela cidade.

Os Acolhedores de Tel Aviv fazem parte da Rede Global de Acolhedores, uma associação virtual informal de programas de Acolhedores ao redor do mundo.

Andar pela cidade com um morador local é uma ótima opção para famílias, grupos de amigos ou viajantes individuais. Os Acolhedores de Tel Aviv levarão você onde você quiser – ou levarão você a um dos pontos mais solicitados, incluindo o bairro Neve Tzedek, o Distrito Iemenita, o Porto de Tel Aviv, o Parque Hayarkon, o bairro Florentin, Antiga Jaffa ou até mesmo a praia.

É totalmente gratuito e os visitantes não estão autorizados a dar gorjetas.

13. Praça da Cultura

Tel Aviv é a cidade da cultura de Israel. No entanto, a maioria dos museus, orquestras, teatros, galerias de arte, salões de dança e de música cobram uma taxa de ingresso.

Para vivenciar a cena artística da cidade, visite a Praça da Cultura no final do Bulevar Rothschild. Lá você encontrará o histórico Auditório Mann, sede da Orquestra Filarmônica de Israel, o recentemente reformado Teatro Nacional Habima e o Pavilhão Helena Rubinstein de Arte Contemporânea — todos eles de frente para um pátio público maravilhosamente projetado com um pequeno jardim, chafariz e dezenas de famílias se divertindo entre eles.

O pavilhão apresenta exposições temporárias, refletindo diversas áreas e práticas da arte israelense e internacional contemporânea – e é gratuito para o público.

14. Rua Dizengoff

Passear pela Rua Dizengoff é um dos passatempos favoritos de muitos moradores.

Seja para ver pessoas ou apenas um lugar para descansar, acomode-se em um dos bancos ao redor da Fonte Fogo & Água. A fonte está localizada na Praça Dizengoff, que exibe criações de jovens designers industriais, gráficos, de moda e plásticos de Israel todas as quintas-feiras das 16h até 23h e uma feira de antiguidades todas as terças e sextas-feiras.

dizengoff

15. Patinadores de Tel Aviv

Toda terça-feira à noite em Tel Aviv cerca de 400 patinadores lotam as ruas através de uma confederação livre apelidada de Rollers. Escoltas policiais estão à disposição para dar segurança aos patinadores enquanto eles se deslocam sobre rodas ao longo de uma rota de 20 quilômetros passando pelas casas noturnas da cidade. Se você tem um par de patins, não perca essa diversão com alta dose de energia. Ponto de encontro: Teatro Nacional Habima, 22h.

16. Jardins Botânicos da Universidade de Tel Aviv

Os magníficos Jardins Botânicos estão localizados no coração da Universidade de Tel Aviv. Estendendo-se por 34 mil metros quadrados, os jardins servem como ponto de encontro para ver as diferentes espécies de flora e fauna do mundo.

Os visitantes são incentivados a conferir com detida atenção o museu de plantas de domingo a quinta-feira, das 8h até 16h. Mas ligue com antecedência (+972-3-640-9910) porque o jardim também é usado como sala de aula ao ar livre para os estudantes da universidade.

17. Praça Rabin

A principal praça do lado de fora da Prefeitura é conhecida como Praça Rabin em homenagem ao Primeiro-Ministro israelense Yitzhak Rabin. Ele foi assassinado no dia 4 de novembro de 1995 após um comício pela paz nesta praça.

Um monumento a Rabin foi erguido no local onde ele foi morto. O escultor israelense Yael Ben-Artzi utilizou ​​16 pedras de basalto das Colinas de Golan e afundou-as na terra para simbolizar a profunda conexão de Rabin com a terra.

praça Rabin

18. Casa Ben-Gurion

Um dos menores museus e provavelmente o menos notado é a Casa Ben-Gurion, uma histórica casa-museu localizada no endereço 17 Ben-Gurion Boulevard que serviu como residência adicional para o 1º Primeiro-Ministro de Israel, David Ben-Gurion.

Os visitantes podem ver a biblioteca de Ben-Gurion, os aposentos de sua família e a sala onde ele trabalhava. Faça uma visita guiada gratuita à casa e aprenda sobre a obra de Ben-Gurion.

Fonte: Israel21c

Memorial do Holocausto é premiado com "Certificado de Excelência em 2013".

Leave A Reply

Comments are closed