As novas tecnologias e inovações vieram para substituir o homem na execução das tarefas?

Negócios 24 Nov 2017
As novas tecnologias e inovações vieram para substituir o homem na execução das tarefas?

O Brasil tem se destacado na criação e surgimento de Startups de sucesso, nas mais diversas áreas de conhecimento, como aquelas voltadas para o mercado financeiro, agronegócio, saúde, educação, entre outros.

Segundo Rodrigo C. de Carvalho Borges e Bruno L. Mendes de Almeida, em seu artigo para o JOTA, muito dessas empresas inovadoras têm surgido no país em razão do cenário econômico em que vivemos, no qual os postos de trabalho foram reduzidos, desencadeando na população a necessidade de buscar novas alternativas ao sustento, de verdadeiramente inovar.

Startups são uma nova forma de ser fazer negócios, em que a experiência é voltada ao cliente, em que a inovação é o principal pilar. Muitos conceituam como Startups as empresas que atendam aos seguintes requisitos:

(i) encontram-se em estágio inicial no desenvolvimento de seus negócios empresariais;

(ii) possuem pouca ou nenhuma organização e processo interno;

(iii) perfil inovador;

(iv) rígido controle de gastos;

(v) produto escalável.

As Startups têm desenvolvido novas ferramentas nunca antes imaginadas, modificando, portanto, a forma de se fazer negócios e relacionar, o que não encontra a devida proteção/respaldo na legislação. A tecnologia avança em velocidade incapaz de ser acompanhada pelo Poder Legislativo.

Concluímos assim, que o homem não será substituído pela tecnologia em suas tarefas, e sim auxiliado por ela. As Startups necessitam de apoio jurídico para validar seus modelos de negócio, tornando o advogado peça chave neste processo, que devem adotar uma postura ativa, a fim de atender aos chamados dessas empresas e da sociedade civil, tornando-se personagens ativos neste cenário de mudanças e inovações.

Veja aqui a matéria na íntegra

 

Rodrigo Caldas de Carvalho Borges – presidente da Comissão de Estudos da Legislação em Empreendedorismo Criativo e Startups da OAB de Pinheiros
Bruno Lambert Mendes de Almeida – vice da Comissão de Estudos da Legislação em Empreendedorismo Criativo e Startups da OAB de Pinheiros

Fonte: Jota

← Oportunidades de Negócios - Israel Monsanto e fundo BR Startups fazem aporte de R$ 1 mi em startup de agronegócio →

Leave A Reply

Comments are closed