Coca-Cola com maconha? Empresa pretende importar o ingrediente de Israel

Newsletter 03 Out 2019

A Coca-Cola está no mercado há mais de um século e continua inovando. Novos sabores, como Coca-Cola Zero Sugar Orange Vanilla, estão constantemente sendo introduzidos. No início deste verão, o conglomerado de bebidas de Atlanta lançou o Coca-Cola Plus Coffee, que oferece mais cafeína do que o original.

Mas em breve, o refrigerante favorito dos Estados Unidos poderá dar um salto ainda maior. Em um futuro não muito distante, é possível ver Coca-Cola com infusão de maconha nas prateleiras dos supermercados. Isso traz um significado totalmente novo ao slogan clássico: abra a felicidade.

E de onde eles vão conseguir toda essa cannabis? Bem, se Saul Kaye tem algo a ver com isso, a gigante do refrigerante estará importando de Israel.

O afável Kaye, cujo forte sotaque australiano esconde sua mudança para Israel há 25 anos, é o fundador da iCAN. Seu grupo ajuda a incubar as startups israelenses de cannabis – oferecendo desde conhecimentos científicos até fundamentos de negócios. Ele também organiza a CannaTech, uma das principais conferências de cannabis do mundo. Reúne partes interessadas, como agrônomos e líderes de negócios, e pacientes com eventos em Londres, Davos, Sydney e Hong Kong, apenas para citar algumas das cidades em que foi realizada na última década. Um evento em Tel Aviv no início deste ano atraiu 1.200 pessoas.

Na semana passada, ele trouxe algumas de suas startups israelenses de maconha favoritas em um roadshow para Nova York, onde as apresentou a potenciais investidores.

Existem várias razões pelas quais Israel se encontra na vanguarda da indústria da cannabis, especificamente para o CBD – o composto químico encontrado em plantas que podem aliviar a ansiedade e a dor. O país mediterrâneo – que é do tamanho de Nova Jersey – abriga a maior instalação de maconha medicinal do mundo. Os agricultores de todo o país estão produzindo tanto que Israel está prestes a se tornar um dos principais exportadores de CBD. “Poderemos produzir mais cannabis aqui do que todo o estado do Colorado”, disse um produtor à revista Rolling Stone, que apelidou Israel de “país das maravilhas da erva medicinal “.

“Estamos produzindo cannabis farmacêutica na escala que nenhum outro mundo está fazendo”, acrescentou Kaye. O país está simplesmente produzindo mais do que precisa. Não surpreendentemente, Israel aprovou uma lei que permite a exportação de cannabis medicinal. Kaye vê esse processo começando no início de 2020, expandindo instantaneamente o mercado de produtos CBD de fabricação israelense para milhões de pessoas da noite para o dia.

O setor de tecnologia israelense é conhecido por correr riscos e pensar fora da caixa, e essa mentalidade é evidente na indústria da cannabis. Algumas das startups incluem:

Cannibble, que está desenvolvendo pipoca e pizza enriquecida com cannabis .
ReaGenics, que descobriu uma maneira de produzir óleo de cannabis sem realmente cultivar a planta.
Weedley, que produz petiscos para cães ansiosos por animais de estimação.
Syqe Medical, que fabrica inaladores para fornecer dosagens precisas de cannabis medicinal.
Premier Dead Sea, que infunde CBD em produtos para cuidados com a pele.
Telegrass, um serviço de entrega de maconha que foi chamado de “Uber para plantas daninhas”.
Em particular, uma empresa que excita a Kaye é chamada iCanSee, que utiliza a nanotecnologia para fornecer cannabis medicinal através de colírios. A idéia, como outros métodos inovadores de entrega desenvolvidos em Israel, é evitar a inalação, que pode levar a doenças pulmonares, e comestíveis, que nem sempre têm a dosagem precisa.

Fonte: From The Grapevine

← Israel na maior feira de alimentos do mundo – ANUGA 2019 UBER FAZ PARCERIA COM STARTUP PARA EXIBIR ROTAS DE TRANSPORTE PÚBLICO EM SP →

Leave A Reply

Comments are closed