Codevasf testa tecnologia israelense de gerenciamento de água em projeto de irrigação

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) está testando um novo dispositivo de gerenciamento de água no Projeto de Irrigação Salitre, localizado no município de Juazeiro (BA). O objetivo dos testes é verificar condições operacionais e longevidade do equipamento. A tecnologia reúne válvula e hidrômetro ultrassom em uma única peça, fabricada por uma empresa israelense. A vazão é medida por meio de ondas emitidas várias vezes por segundo e os resultados são apresentados em um medidor digital.

De acordo com a empresa fornecedora, o sistema é alimentado por baterias que têm duração média de cinco anos. Por não ter partes móveis, não há risco de o equipamento sofrer danos causados pela presença de pedras na estrutura ou por entupimentos provocados por algas. Além disso, há a possibilidade de o sistema ser controlado remotamente por meio de um aplicativo de telefone celular.

Segundo o técnico da Codevasf Rodrigo Vieira, que participa dos testes, um sistema hidráulico desbalanceado pode queimar bombas e estourar canalizações. “O equipamento poderá ser mais uma opção para a futura substituição de dispositivos quebrados, em projetos existentes de pressurização coletiva. Tudo depende do resultado dos testes”, explica.

Um mês após o início da experiência pôde-se verificar diferença entre valores apresentados por hidrômetros do tipo “Wortmann” e hidrômetros ultrassônicos. Os Wortmann apresentaram medição 3% a menor que o ultrassônico.

O projeto

A ideia de realizar o projeto-piloto é decorrente de uma requisição da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Codevasf, que solicitou à superintendência da Companhia em Juazeiro apoio para a elaboração de minuta de especificação para válvulas e hidrômetros do Projeto Pontal, em Petrolina (PE). Durante o processo de consulta técnica a fabricantes desses dispositivos, a empresa israelense manifestou interesse em doar seu equipamento para testes.

A partir dessa minuta, adotaram-se pela primeira vez na Codevasf válvulas plásticas, com custo três vezes inferior ao das equivalentes metálicas. A medida otimiza gastos para implantação e manutenção de projeto públicos de irrigação com pressurização coletiva.

“Esta é uma oportunidade de melhorar o fornecimento de água, ter maior precisão na aferição da água ofertada e reduzir custos na implantação de projetos de irrigação”, afirma o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Elmo Nascimento, que visitou o local onde os testes estão sendo realizados.

← Sonda israelense está no caminho certo rumo à Lua Perspectivas para negócios e investimentos no Brasil →

Leave A Reply

Comments are closed