Embrapii firma acordo com Israel para projetos de inovação

Newsletter 06 Dez 2018

Parceria permitirá que empresas brasileiras tenham acesso às instituições inovadoras mundiais na área de energia, IoT, agricultura e ciências da vida

Para ampliar a competitividade da indústria nacional e promover a cooperação tecnológica e econômica entre Brasil e Israel, a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Autoridade de Inovação de Israel vão destinar 10 milhões de dólares a projetos inovadores realizados em conjunto por empresas com sede nos dois países. O edital de convocação foi lançado no dia 29 de novembro

“Israel é um país referência no que se refere à capacidade de impulsionar a economia por meio da inovação tecnológica. Essa cooperação permitirá às empresas brasileiras acesso às novas tecnologias e o contato com um dos principais celeiros de empresas inovadoras do mundo, além de ser um incentivo para ingressar no mercado exterior”, destaca o diretor de Planejamento e Gestão da EMBRAPII, José Luis Gordon.

A chamada será voltada para projetos de desenvolvimento de novas tecnologias nas áreas de energia, IoT (Internet das Coisas), agricultura e ciências da vida. A proposta deve envolver ao menos uma empresa de cada país e resultar no desenvolvimento de um novo produto, novo processo produtivo ou serviço de aplicação industrial.

O projeto também deve ter potencial de mercado e agregar valor às economias de ambos países. Nesse modelo de cooperação internacional, cada país financia suas respectivas empresas. As empresas brasileiras devem estar associadas à rede credenciada de 42 Unidades EMBRAPII para o desenvolvimento do projeto.

Drones israelenses no Brasil

drone hermesA Força Aérea Brasileira (FAB) adquiriu em 2011 drones Hermes 450 junto à empresa israelense Elbit Systems, incluindo, além das aeronaves, uma estação em solo, sensores e apoio logístico.

O Hermes 450 é um drone projetado para longas missões táticas de resistência. Tem uma autonomia de mais de 20 horas, com a missão primária de vigilância, reconhecimento e retransmissão de comunicações. Pode voar a distâncias de até 200 quilômetros do posto de comando, e pode igualmente utilizar satélites para navegar.

O drone tem a possibilidade de voo completamente autônomo e não precisa de intervenção dos operadores. Da mesma forma, o seu piloto automático permite a aterrisagem em pequenas pistas.

Para a Copa do Mundo de 2014 foi utilizado também outro modelo de drone israelense, o Hermes 900, com maior autonomia e alcance. Além da Aeronáutica, a Polícia Federal também opera drones israelenses, do modelo Heron, fabricado pela concorrente Israel Aeroespace Industries.

Israel tem, hoje, uma das maiores concentrações do mundo de empregados em P&D – 140 a cada 10 mil habitantes – e também uma das maiores concentrações de empregados em alta tecnologia – uma a cada 10 trabalhadores atua com tecnologia de ponta. O país também responde por um dos maiores índices per capita de startups do mundo: uma a cada 400 pessoas. Só em 2017, novos negócios de base tecnológica fundados lá foram vendidos por 23 bilhões de reais. Com tanta inovação, o país atraiu a atenção de grandes estrangeiras e conta com 350 centros de pesquisa e desenvolvimento de multinacionais.

 

← Empresa israelense cria o primeiro bife feito em laboratório no mundo Como Israel está liderando grandes descobertas na impressão 3D →

Leave A Reply

Comments are closed