Empresas israelenses combatem a fome com tecnologias inovadoras

Newsletter 09 Mai 2019

S5001764

A crescente crise alimentar mundial pode, em breve, indicar a possibilidade de que o aumento da produção simplesmente não atenda mais à demanda por alimentos.

Até 2050, estima-se que o mundo precise produzir pelo menos 50% a mais de alimentos para suprir sua população de 9 bilhões de pessoas. No entanto, segundo o Banco Mundial, as plantações podem reduzir-se em até 25% devido ao aquecimento global.

A despeito da fome mundial, algumas empresas de Israel estão trabalhando arduamente para pôr fim à fome e à agflação –aumento do preço dos alimentos, causado pelo aumento da demanda por commodities agrícolas.

Desde os anos 1950, os israelenses encontram maneiras inovadoras de suprir o mundo e cultivar em seu próprio deserto. Destacam-se cinco principais tecnologias israelenses que poderiam acabar com a fome mundial.

Enquanto a escassez de água assola países desérticos há décadas, esta já não é mais uma grande preocupação no deserto de Israel, graças a tecnologias como a Tal-Ya Agriculture Solutions. Esta empresa israelense desenvolveu tecnologias projetadas para produzir mais alimentos com menos água.

Dentre as tecnologias, encontram-se: as bandejas de plástico reutilizáveis que capturam orvalho do ar e reduzem a quantidade de água necessária às plantações em até 50%. A bandeja em formato quadrado, que custa de US$ 3 a US$ 5 por peça, é produzida com plástico reciclável. Essas inovadoras bandejas funcionam envolvendo cada planta, coletando orvalho quando a temperatura muda durante a noite e canalizando a água para plantas e culturas arbóreas. As bandejas, que devem durar 10 anos, também bloqueiam as ervas daninhas que, sem isso, competiriam pela água com as plantas.

Desde a sua criação, em 2005, a Tal-Ya (que significa “Orvalho de Deus” em hebraico) oferece seus serviços a agricultores em Israel, nos EUA, China, Chile, Geórgia, Sri Lanka e Austrália.

Em países pobres, onde os recursos agrícolas são escassos, o mofo e os insetos podem facilmente destruir colheitas, principalmente em contextos de calor e umidade extremos. O GrainPro Cocoon, criado por Shlomo Navarro, formado pela Universidade Hebraica, resolve esse problema. O Cocoon é uma bolsa gigante de armazenamento que protege as plantações, mantendo distantes os insetos esfomeados.

O material utilizado para proteger as plantações é especialmente projetado para condições de franco deserto, em áreas de condições climáticas extremas, tais como a África e a América do Sul, onde há falta de instalações de armazenamento que protejam as colheitas.

Atualmente as bolsas de armazenamento são utilizadas não somente no Oriente Médio, mas em todo o mundo.

Imagine o cultivo de quantidades ilimitadas de trigo, em ambientes de clima extremo como em meio à seca ou ao calor. A firma israelense NR Gene, com sede em Ness Ziona, já riscou esse item de sua lista. Este start-up na área de dados genômicos mapeou recentemente o genoma do trigo completo em um mês, e espera-se, agora, que este fato permita a cientistas criarem sementes em maior produção e com maior resistência a doenças.

O mapeamento do genoma do trigo foi um projeto colaborativo liderado por pesquisadores de diversas universidades de Israel e do exterior.

Pioneira em agricultura orgânica, a Kibbutz Sde Eliyahu marcou sua presença com êxito na área de agricultura livre de produtos químicos, com sua empresa Bio Bee. Fundada em 1984, a empresa é especializada na criação de insetos e ácaros benéficos que ajudam a impulsionar o crescimento agrícola em campos abertos e em estufas.

Por meio de sua subsidiária Bio Fly, a empresa comercializa zangões polinizadores e moscas da fruta do Mediterrâneo machos e estéreis para auxiliar no controle de pestes. A empresa exporta oito diferentes espécies de agentes de controle biológico para 30 países, incluindo os EUA, Japão e Chile.

A ideia por trás desse sistema é alcançar um equilíbrio entre a população de pestes e seus inimigos naturais. Caso esse equilíbrio seja alcançado, a pulverização de pesticidas pode ser reduzida ao mínimo, e os produtos agrícolas podem ser coletados com segurança, sem receios em relação aos resíduos químicos. A Bio Fly é resultado de um esforço colaborativo entre especialistas agrícolas israelenses, jordanianos e palestinos.

A empresa de software israelense Agricultural Knowledge On-Line (AKOL), fundada em 1978, é especializada em auxiliar produtores no cultivo de frutas e vegetais, na criação de aves e vacas de leite, no gerenciamento de vinhedos e até mesmo na produção de azeite de oliva. O fórum online da AKOL, detido pela Kibbutz Bror Hayil no sul de Israel, aconselha agricultores em relação ao melhor período do ano para realizar plantação e colheita, sobre como lidar com as secas, como monitorar o crescimento do rebanho, dentre muitas outras questões e preocupações ligadas à administração de uma fazenda moderna.

Em 2011, a empresa assinou um acordo de desenvolvimento com a gigante da computação IBM, passando a ser hospedada em sua “nuvem”. Mais recentemente, a AKOL anunciou o lançamento de uma “nuvem agrícola” na China, após assinar um acordo com seu governo, no início deste ano.

Fonte: NoCamels

← R7 e Taboola anunciam parceria exclusiva Fundos de Tecnologia Israelenses Continuarão Crescendo em 2019? →

Leave A Reply

Comments are closed