AGRITECH

AGRITECH

AGRITECH 2015

Comitiva gaúcha com 22 participantes esteve em Israel participando da 19ª Conferência e Exposição Internacional de Agricultura, a Agritech 2015.

Os dias da missão gaúcha ao Estado de Israel foram intensos. Na Kaiima, empresa líder em genética e tecnologia de criação, o grupo conheceu uma plataforma pioneira de tecnologia, o no-GMO (sem transgenia) que, juntamente com programas de melhoramento avançados, aumenta a produtividade e uso de recursos inerentes da produção eficiente de alimentos. O sistema também tem uma capacidade para criar novas variedades, através de hibridização entre espécies que são especificamente adaptadas para a agricultura sustentável. Segundo o diretor da Câmara Brasil-Israel no Rio Grande do Sul, Sebastian Watenberg, a tecnologia despertou interesse para uso na lavoura de arroz do RS. “O Prefeito de Rio Pardo pretende levar o assunto adiante em parceria com o IRGA”, informa.

Na BioBee, uma das principais empresas internacionais na área biológica de Manejo Integrado de Pragas, Polinização Natural, Controle Medfly e o maior produtor mundial de persimilis Phytoseiulus, o predador natural e o mais eficaz de Tetranychus urticae (ácaro vermelho), o que chamou atenção foi o baixo custo e a alta eficiência do projeto, em especial com o ácaro vermelho que é muito comum na lavoura brasileira. “O desafio é vencer as barreiras burocráticas para importação dos insetos”. De acordo com Sebastian, a BioBee não opera no Brasil em razão da burocracia.

Na Afimilk, líder global no desenvolvimento, fabricação e comercialização de sistemas avançados para a fazenda de gado leiteiro e para o gerenciamento de rebanho, o que despertou o interesse da missão gaúcha foi a tecnologia para manejo do esterco, o alto controle da produção de leite dos animais, assim como a produtividade. Desde 1977, a AfiMilk tem sido pioneira no campo, com a introdução do primeiro medidor de leite eletrônico.

Na primeira noite, o grupo caminhou pela orla de Tel Aviv e jantou no porto da cidade (Namal Tel Aviv). A absoluta segurança nas ruas e a gastronomia despertaram a atenções dos gaúchos. “E claro, a tradicional pergunta de por que o porto de Porto Alegre nunca sai do papel, foi um dos assuntos mais comentados”, destaca Sebastian.

No segundo dia, a missão visitou a Embaixada Brasileira, sendo recebida pelo Embaixador Henrique Sardinha Pinto. Logo após, partiram para a Agritech – uma das principais do mundo na área de tecnologias agrícolas e que na edição deste ano apresenta aos visitantes estratégias de pós-colheita, de armazenamento e segurança alimentar.

De acordo com o Sebastian, o grupo saiu do primeiro dia do evento com duas constatações: a agricultura é um negócio que deve ser gerido de maneira altamente profissional, qualquer que seja a escala de produção; a agricultura está umbilicalmente ligada à tecnologia, que exerce papel fundamental no negócio, em todas as etapas do processo produtivo.

Centro de pesquisa em agricultura é o destaque do terceiro dia da missão gaúcha a Israel

Operando quatro estações de pesquisa em várias partes do país e servindo como um centro de testes para produtos e equipamentos agrícolas, o centro de centro de pesquisa em agricultura Volcani Center chamou a atenção do grupo de gaúchos em missão a Israel. Segundo o vice-presidente da Firs, Sebastian Watenberg, o Pró-Reitor de Extensão e Relações Comunitárias da UNISC, Angelo Hoff, manifestou o desejo da Universidade de firmar uma parceria com a instituição, visando ao intercâmbio de alunos israelenses e brasileiros.

O trabalho da empresa incide em especial sobre a agricultura de zona árida, permitindo a Israel – um país com falta de todos os recursos necessários para a agricultura – atingir os mais altos níveis de produção agrícola no mundo. Os setores são agricultura em condições áridas, solos marginais, irrigação utilizando água de efluentes e de solução salina, cultivo em ambientes protegidos, piscicultura de água doce em condições de escassez de água, minimização das perdas, criação e desenvolvimento de novas variedades de cultivos e animais.

De acordo com Sebastian, os demais membros do grupo ficaram maravilhados com a visão holística do Volcani, que trabalha na “solução completa” dos problemas que lhe são submetidos, integrando pesquisadores, técnicos e agricultores.

O trabalho da Danziger – “Dan” Flower Farm, que produz plantas jovens e mudas para o mercado israelense e para mais de 60 países em todo o mundo, chegando a ter market share global de 75% em algumas espécies, também foi uma das atrações. “Membros do grupo ficaram interessados na possibilidade de testar algumas espécies no solo gaúcho, tendo em vista a alta rentabilidade no mercado de flores para corte. É uma ótima oportunidade de investimento para agricultores familiares”, ressalta Sebastian.

A empresa conta com uma equipe talentosa e experiente de criadores e tecnologia altamente avançada que possibilita a introdução de variedades de flores melhoradas a cada temporada.

A feira ocorreu na cidade de Tel Aviv, reunindo mais de 250 empresas do setor. O Estado de Israel é referência mundial em tecnologia de agronegócio e pioneiro nas áreas de fertirrigação e de reciclagem de água. Ao longo de seus 67 anos de existência, o país desenvolveu uma indústria de agrotecnologia, que hoje rende US$ 2 bilhões por ano em exportações.

Relatório de Viagem na imagem abaixo (PDF).

Relatório de Viagem - Agritech

Grupo Agritec 1

Grupo Agritec 3

Grupo Agritec 5

Grupo Agritec 6

Grupo Agritec 7