Israel quer reduzir burocracia para empresas

Newsletter 14 Set 2017

“Nós queremos fazer de Israel o melhor ambiente para negócios, com menos regulamentação e burocracia”, afirmou Ziva Eger, chefe do Invest in Israel, braço do Ministério da Economia e Indústria, que pretende se tornar uma “one-stop-shop” para investidores estrangeiros em Israel. A ideia é fazer com que multinacionais sintam que vale a pena abrir seus negócios no país, não apenas para pesquisa e desenvolvimento, mas também para produção.

O Ministério anunciou a criação de um centro de serviços para o investidor, que espera se tornar uma linha direta para problemas que empresas estrangeiras podem encontrar enquanto estabelecem operações em Israel. Em seu relatório anual “Facilidade de fazer negócios” de 2017, Israel ficou na 52ª posição de um total de 190 economias entre os locais mais fáceis de fazer negócios, uma leve piora em relação ao ano de 2016, quando ocupou a 49ª posição.

“Multinacionais contribuem para a economia local trazendo investimentos e empregos para o país, ajudando a diversificar os riscos, contribuindo com conhecimento – tanto em tecnologia quanto em habilidades gerenciais – e abrindo o mercado israelense para o mundo. Uma vez que uma empresa local se torna um fornecedor de uma multinacional, é como um selo de aprovação em relação à qualidade”, explicou Eyal Eliezer, chefe de estratégia da Invest in Israel.

“Israel é realmente o centro de P&D do mundo”, destacou o Ministro da Economia, Eli Cohen, para uma audiência de 400 líderes globais em evento somente para convidados. Entre os palestrantes do evento estavam o chairman do DLD Yossi Vardi, o CTO da Amazon Werner Vogels e também executivos da Mercedes-Benz, Phillips, IBM e Flex.

“A Amazon veio para Israel por causa do talento”, disse Vogels na conferência. A empresa possui um centro de P&D no país. “Tudo o que fazemos aqui é motivado pelo talento local. Eles trabalham com uma mentalidade global e são muito bem conectados e disciplinados graças ao serviço militar. Engenheiros israelenses são conhecidos pela sua habilidade de trabalhar de forma mais inteligente (“work smarter, rather than harder”). Mas os jovens não devem receber toda a glória”, ele pontuou. “As pessoas erroneamente acreditam que somente os jovens conduzem a inovação, mas são os mentores mais experientes e maduros, como Yossi Vardi, aqui em Israel que são o motor por trás de tudo isso”.

Já existem mais de 300 multinacionais operando em Israel, incluindo Google, Facebook, IBM e Amazon. A maioria delas estabeleceram centros de P&D, mas aproximadamente 80 delas, como a Flex e a Intel, por exemplo, também possuem centros de produção locais. “Todos sabem que Israel é um líder global em investimento em P&D com talentos de primeira linha, mas também oferece capacidades sofisticadas de manufatura avançada – o que juntos cria a fórmula ideal para o sucesso dos negócios”, ressaltou Yossi Vardi, chairman do DLD.

Fonte: The Times of Israel e AlefNews

← iPhone X usa tecnologia israelense do Kinect Comitiva catarinense conhece uso do drone na segurança de Israel para aplicá-lo em SC →

Leave A Reply

Comments are closed