Israelense cria mala-robô que segue o dono por onde ele vai

Tecnologia 13 Jan 2016
Israelense cria mala-robô que segue o dono por onde ele vai

Não acontece com todo mundo, mas alguns viajantes mais distraídos já devem ter esquecido a bagagem de mão no táxi antes de entrar no aeroporto. Os azarados podem ter visto ela ser levada por um ladrão no saguão do aeroporto, antes de embarcar.

Para evitar esses problemas e também por tomar inspiração no cotidiano de personagens de desenhos animados, um israelense decidiu criar uma mala-robô, capaz de seguir seu dono por onde ele vai.

“Queremos encantar as coisas, usar a tecnologia para fazer dos bens pessoais robôs inteligentes, como nos filmes da Disney”, disse à Folha o cofundador e CEO da Nua Robotics, Alex Libman.

Ao turista distraído, então, bastará pressionar o botão “follow me” (siga-me) em um aplicativo instalado em seu smartphone para a mala, conectada ao aparelho via Bluetooth, saber sempre a direção que o dono está tomando enquanto anda no aeroporto, por exemplo (ela também será equipada com sensores para driblar obstáculos, como pilares e outras pessoas, ou outras malas, que estiverem pelo caminho).

Por razões de segurança, os protótipos ainda alcançam apenas velocidades baixas, mas, segundo Libman, poderão atingir “a velocidade que quisermos”.

Para os azarados, a bagagem virá com um sistema de localização e outro de alarme. Assim, se um ladrão pegá-la no meio do caminho e o dono seguir andando sem perceber a ação, ela vai disparar um alarme, para chamar a atenção de outras pessoas.

Uma bateria também vai permitir que a mala recarregue outros aparelhos do dono, como tablets e celulares.

Segundo Libman, o projeto, apresentado na última edição da feira de tecnologia CES, em Las Vegas (EUA), ainda não tem data para se tornar realidade. “Mas estamos conversando com investidores e fabricantes para trazê-la ao mercado assim que possível”, disse. “Os materiais que usamos estão de acordo com os padrões exigidos pela aviação”.

Tampouco há ideia de preço definido e tamanhos que serão disponibilizados –a princípio, a tecnologia foi pensada para malas de mão, mas ela poderá ser implantada em outras bagagens e objetos, como carrinhos de compras em supermercados.

A tecnologia de malas tem avançado nos últimos anos, com modelos expansíveis e estudos, entre as companhias aéreas, para a padronização do tamanho da bagagem.

Fonte: Jornal Floripa

Israel, potência mundial em nanotecnologia Startup cria “Whatsapp” de vídeos que facilita a vida de deficientes auditivos

Leave A Reply

Comments are closed